Fundação Itesp garante R$ 14,3 milhões em crédito do Feap para produtores rurais assentados em todo o Estado

Para garantir a produtores rurais assentados acesso ao crédito emergencial do Fundo de Expansão do Agronegócio Paulista (Feap), gerido pela Secretaria de Agricultura e Abastecimento, destinado aos que tiveram prejuízos com covid-19, seca, geadas ou ataques de pragas, técnicos da Fundação Itesp elaboraram 298 projetos em todo o Estado. Graças a esse trabalho, dos R$ 150 milhões reservados pelo Feap, R$ 14.336.783,78 serão destinados a famílias de agricultores atendidas pela fundação.

Na fase 1 do programa, quando foram liberados R$ 100 milhões, o crédito para pessoa física tinha o limite de R$ 80 mil; para associações e cooperativas, até R$ 1,5 milhão. Na fase 2, com a liberação de mais R$ 50 milhões, esses tetos passaram a ser de R$ 50 mil para pessoas físicas e R$ 750 mil para associações e cooperativas. Na primeira fase, a Fundação Itesp conseguiu aprovar 100 projetos; na segunda, 198. A taxa de juros é de apenas 1% ao ano, com 24 meses de carência e pagamento em 48 meses. Esse custeio emergencial faz parte do programa Desenvolve-SP.

Com exceção de uma proposta de R$ 250 mil que contemplou 61 produtores rurais membros da Associação União Agropecuária do Assentamento Luís Moraes Neto, em Caiuá, todos os outros 297 projetos beneficiaram pessoas físicas, ocupantes de lotes em assentamentos rurais e comunidades remanescentes de quilombos.

Regiões atendidas

Na regional Noroeste, 160 projetos foram encaminhados: 158 deles pelo GTC de Promissão, no valor total de R$ 7.924.300,00, e os outros 2, de R$ 50 mil cada um, pelo GTC de Andradina.

Na região Oeste, que engloba o Pontal do Paranapanema, foram redigidos 53 projetos, que dão acesso a um crédito de R$ 2.078.604,27. O Grupo Técnico de Campo (GTC) de Presidente Bernardes foi o que mais encaminhou projetos na região: nesse município, 23 produtores assentados serão beneficiados com um total de R$ 1.002.500,00. Os GTCs de Presidente Venceslau e Presidente Epitácio tiveram 9 projetos aprovados cada um; o de Primavera/Rosana, 6; e cada um dos GTCs de Euclides da Cunha Paulista, Teodoro Sampaio e Martinópolis, 2.

No Norte do Estado, 39 projetos foram enviados pelo GTC de Araraquara e outros 14 pelo de Bebedouro. No Leste, o GTC de Araras teve 6 projetos aprovados. No Sudoeste, foram apresentados 7 projetos por Sorocaba e 1 por Itapeva. No Sudeste, mais 10 projetos foram encaminhados pelo GTC de Taubaté. E no Sul, o GTC de Eldorado aprovou 8 projetos que beneficiam produtores rurais quilombolas.

Beneficiados

O produtor Manoel Munhoz Martins, que vive na agrovila José Bonifácio do assentamento Reunidas, em Promissão, teve seu rebanho e seu pasto dizimados por uma queimada iniciada no canavial de uma propriedade particular adjacente, em agosto de 2021, durante um período de forte seca. Com o crédito, ele vai recompor o que perdeu e seguir investindo em sua atividade principal, a pecuária leiteira.

O casal Vicente Guedes Sobrinho e Maria de Lourdes da Silva Guedes, que vivem no lote 11 do assentamento Rodeio, em Presidente Bernardes, foi beneficiado com quase R$ 40 mil. No lote, onde trabalha com produção orgânica certificada, a família investirá na melhoria da eletrificação e na preparação da terra para plantio de milho certificado. Caso essa produção seja um sucesso, eles comprarão sombrites para sua horta.

Pedro Inácio Sena e Francisca, do assentamento Florestan Fernandes, também em Bernardes, conseguiram quase R$ 50 mil reais. Eles vão investir em melhorias no reservatório de água e no projeto de irrigação. Hoje, eles trabalham com pecuária leiteira, usam a técnica do pastejo rotacionado e produzem em média 110 litros por dia. A família também pretende perfurar um novo poço artesiano, com 60 metros de profundidade.